Call us on 44 7700 900693

BLOG | Porque Liderar como antigamente já não funciona mais?

yama-lk-1602

Estamos passando por um momento de muitas mudanças que geram, por consequência, muitas incertezas. Seja como pais, como amigos ou como líderes, parece que nossa forma de agir no mundo já não vem funcionando mais e sentimos internamente uma necessidade de nos adaptarmos aos novos tempos.

Sem saber direito qual o caminho de adaptação para a o momento atual, acabamos mantendo os mesmos modelos de liderança de eras anteriores e, descobrimos na prática, que já não são mais tão eficientes como foram um dia.

Por isso, o convidamos para uma reflexão a respeito da evolução no estilo, propósito e forma de se liderar para entendermos as necessidades dos tempos atuais.

Um líder em um cenário de produção rural e de manufatura, por exemplo, teve que se adaptar para a grande revolução Industrial, onde a produção em larga escala tornou-se uma realidade, onde a mão de obra se tornou mais especializada e os meios de transportes facilitaram a logística.

Nessa época o formato de gestão era centralizado, os departamentos funcionais e as decisões aconteciam sempre no topo da pirâmide organizacional. Os funcionários eram considerados como recursos de produção, junto com outros recursos materiais e logísticos. A liderança, portanto era mais autoritária, centralizadora e sua visão era voltada para a produção.

Porém após a Segunda Guerra Mundial o velho modelo burocrático e centralizador tornou-se inflexível e lento demais para acompanhar as mudanças que aconteciam no cenário mundial.

 As empresas então estruturaram os departamentos por produtos e serviços e buscaram ganhar velocidade na relação pedido e entrega. Precisaram se tornar mais dinâmicas e inovadoras buscando serem mais competitivas. Consequentemente a liderança foi gradativamente sendo descentralizada para ganhar agilidades nos processos decisórios e as pessoas passaram a ser vistas como recursos vivos, inteligentes, criativos e não mais como parte da produção.

Por volta dos anos 80/90 a tecnologia da informação provocou a globalização da economia, o que ocasionou ainda mais competitividade entre as empresas. Com o advento da internet a informação passou a cruzar o mundo em questão de segundos e passamos a viver mais no futuro, do que no presente.

 A informação passou a ser supervalorizada e a inovação ganhou destaque nas estratégias empresariais. As mudanças passaram a serem ainda mais rápidas, revolucionárias e por vezes disruptivas.

A liderança precisou aprender a fazer gestão a distância, a delegar responsabilidades e a criar meios para acompanhamento de processos, resultados e pessoas de forma não presencial. Os desafios se tornam maiores a cada dia e neste contexto, são comuns as relações interpessoais se tornaram cada vez mais impessoais, distantes, frias e predominantemente tecnológicas.

Paradoxalmente o que se percebe é que as pessoas encontram-se exauridas e desvitalizadas nesses modelos que já se tornaram arcaicos. Mas o pior, é que muitos líderes atualmente, ainda seguem estes modelos e não compreendem porque não conseguem o comprometimento e dedicação de seus colaboradores.

Mais do que nunca, as Organizações se diferenciam pelas pessoas que a compõe, pois, os produtos e serviços, por mais inovadores que sejam, são rapidamente copiados e superados.

Na era atual, o líder precisar entender de gente!

Entender como lidar com as emoções e sentimentos da equipe; saber como motivar pessoas muito diferentes; como lidar com os conflitos; entender o que eleva o grau de comprometimento da equipe e, especialmente, como inspirar as pessoas a darem o melhor de si para a Organização.

É lógico que outras competências também lhe serão úteis, como pensamento estratégico, gestão orçamentária, gestão do tempo e outras. Mas é a sua capacidade de mobilizar as pessoas em busca de um propósito, com os recursos que tiver disponíveis, que o farão um líder que faz a diferença ou este “líder” será apenas mais um burocrata cuidando apenas para que os processos sejam cumpridos.

O fato é que as Organizações precisam investir em treinamento e desenvolvimento de líderes, assim como estes próprios necessitam sair de sua zona de conforto e dedicar parte de seu tempo para ampliar sua capacidade de se entender, para a partir de si próprio, entender o funcionamento desta maravilhosa e tão complexa criação: O HOMEM.

Se você quer saber mais sobre o tema:

Siga a nossa página, clique aquihttps://www.linkedin.com/company/yama-rh,

Conheça também nosso treinamento de liderança, clique aqui: Yama RH – Programa de desenvolvimento de liderança

Compartilhe sua experiência deixando um comentário e seu gostou, compartilhe a publicação com seus amigos do LinkedIn.

Abraços,

Suzi Mendes

Fundadora da YAMA RH


Carreira | Corporativo | Desenvolvimento Pessoal | Gestão de Pessoas | Liderança       0 comentário(s)

[wp_social_sharing social_options='facebook,twitter,googleplus,pinterest,linkedin,youtube' facebook_text='Compartilhar no Facebook' twitter_text='Compartilhar no Twitter' googleplus_text='Compartilhar no Google+' pinterest_text="\Compartilhar no Pinterest\" icon_order='f,t,g,l,p,x' show_icons='1' before_button_text='' text_position='' social_image='']

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *